Dietas Personalizadas Conseguem Ajudar A redução de peso

Dietas Personalizadas Conseguem Acudir A redução de calorias


Cientistas britânicos dizem ter identificado, entre as pessoas que comem em excesso, 3 perfis distintos de "comilões". Eles testaram dietas específicas para cada grupo e, com apoio nos resultados, estão esperançosos de que uma abordagem personalizada venha transformar os tratamentos para obesidade no futuro. O experimento, envolvendo especialistas das universidades de Cambridge e Oxford, na Grã-Bretanha, foi tópico de um documentário exibido nessa semana na BBC.


Tradicionalmente, janeiro é um mês em que muitos iniciam - e abandonam - dietas bem intencionadas para perder o exagero de peso. Assim sendo, solução é, ao invés optar por uma dieta padrão, cada pessoa deve escoltar uma dieta feita sob quantidade para suas necessidades. A suposição foi posta à prova em um experimento envolvendo setenta e cinco pessoas de imensas cidades britânicas que foram monitoradas em tuas casas durante 3 meses. Os participantes foram divididos em três categorias: aqueles que descobrem trabalhoso parar de comer, aqueles que têm desejo de comer o tempo todo e os que comem por razões emocionais - quando estão estressados ou ansiosos.



Segundo a equipe britânica, baixos níveis de certos hormônios poderiam acudir a explicar o comportamento de pessoas que, no momento em que começam a consumir, não podem parar. Quando alguém come, desse modo que o alimento chega ao intestino, esses hormônios são liberados e viajam pelo sangue até o cérebro, sinalizando para o organismo que a pessoa agora ingeriu o suficiente e, dessa forma, poderá parar de ingerir.


Susan Jebb, da Oxford University. Os pesquisadores identificaram, entre as pessoas que comem excessivamente, o grupo daquelas que sentem desejo de comer o tempo todo. Com regularidade, os "cérebros famintos" desses indivíduos as levam a procurar alimentos gordurosos e cheios de açúcar. Giles Yeo, da Cambridge University. Em circunstâncias de estresse e aflição, a pessoa que come por razões emocionais pesquisa algum tipo de recompensa, ou conforto, no alimento.


Jebb. "Não é por aí. Dietas são uma pergunta de hábito. Nunca soube de um estudo que concluiu que as pessoas são capazes de perder calorias por intermédio de força de vontade. O que elas conseguem fazer é variar seus hábitos". Desta maneira, que tipo de dieta cada um desses 3 grupos deveria acompanhar pra emagrecer? O grupo dos que começam e não param mais de consumir seguiu uma dieta cujo objetivo era fazer com que se sentissem satisfeitos o maior tempo possível. Quer dizer, uma alimentação rica em proteína e com nanico Índice Glicêmico (alimentos cujo açúcar é absorvido mais lentamente pelo corpo humano).


Por exemplo, peixe, frango, arroz basmati, lentilha, grãos e cereais. Segundo os especialistas, estes alimentos melhoram a sinalização feita pelos hormônios do intestino. A batata não é indicada, porque o açúcar da batata é absorvido muito depressa. Fiona Gribble, da Cambridge University. Pessoas que sentem desejo de consumir o tempo todo têm dificuldade em acompanhar dietas 7 dias por semana. Em vez disso, a equipe recomendou que reduzissem drasticamente a quantidade de calorias ingeridas (para somente 800 calorias diárias) durante dois dias por semana. Nos outros 5 dias, o grupo foi orientado a ingerir normalmente, no entanto de forma saudável.


Esta dieta é conhecida como jejum intermitente. Jebb. "O objetivo desta dieta é botar seus corpos em estado de choque pra que queimem gordura". Indivíduos que procuram conforto emocional na comida realizam isso por vício - e este costume é trabalhoso de ser rompido, dizem os cientistas. E também adotarem uma dieta saudável, foram orientados a reunir grupos de suporte pela web e frequentar reuniões.


O objetivo dessas estruturas de apoio era encorajá-los e motivá-los a perseverarem em tuas dietas. Também receberam sessões de Terapia Cognitiva Comportamental para ajudá-los a dominar os pensamentos e comportamentos associados à maneira como se alimentavam. O estudo britânico confirmou novas práticas que conseguem amparar pessoas de todos os grupos a perderem peso. Coma devagar. Isso pode talvez aumentar os níveis de hormônios do intestino que dizem ao cérebro que é hora de parar de comer.



Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *